Drummond e minha versão de balada de amor através das idades

Adoro Drummond, essa poesia em especial. A gente viaja através dos séculos com os encontros e desencontros, muito boa!
Essa é a poesia do gênio:
Eu te gosto,
você me gosta
desde dos tempos imemoriais.
Eu era grego, você troiana,
troiana mas não Helena.
Saí do cavalo de pau
para matar seu irmão.
Matei, brigamos,morremos.

Virei soldado romano,
perseguidor de cristãos.
Na porta da catacumba
encontrei-te novamente.
Mas quando vi você nua
caída na areia do circo
e o leão que vinha vindo,
dei um pulo desesperado
e o leão comeu nós dois.

Depois fui mouro,
flagelo da Tripolitânia.
Toquei fogo na fragata
onde você se escondia
da fúria do meu bergantim.
Mas quando ia te pegar
e te fazer minha escrava,
você fez o sinal-da-cruz
e rasgou o peito a punhal…
Me suicidei também.

Depois (tempos mais amenos)
fui cortesão de Versailles,
espirituoso e devasso.
Você cismou de ser freira…
Pulei muro de convento
mas complicações políticas
nos levaram à guilhotina.

Hoje sou moço moderno,
remo, pulo, danço, boxo,
tenho dinheiro no banco.
Você é uma loura notável,
boxa, dança, pula, rema.
Seu pai é que não faz gosto.
Mas depois de mil peripécias,
eu, herói da Paramount,
te abraço, beijo e casamos.

 
 
E esta é a minha versão:
 
Eu te amo, tu me amas
desde milênios atrás.
Na idade da pedra lascada
você desenhava nas rochas
enquanto colhia sementes
decidiu que seria sua
e me deu uma paulada
assim matou sua amada
e morreu na próxima caçada…
 
No Egito, era dançarina
e o Império Romano alastrava seu poder
Seu comandante foi me escravizar
e você, legionário, lutou para me salvar…em vão
foi para o Coliseu gladiar
e eu passei meus dias num porão.
 
Mais adiante, era uma índia
e você um português
Português,mas não Cabral.
Encantou-se com a terra e com nativos
e resolveu ficar e me ajudar com os cultivos.
Mas foi só partir sua nau
para você sucumbir a uma doença tropical.
 
 
Depois vivi em uma aldeia em Salem
e bateste em minha porta ferido.
Cauterizei suas feridas com unguento,
e a paixão tomou o lugar do teu sofrimento.
Porém, uma mulher não aceitou e
espalhou que eu era bruxa ao vilarejo inteiro!
Fui para a fogueira, e tu ao mosteiro.
 
Hoje sou mulher moderna,
escolho os vinhos e sei danças de salão e orientais.
Aprendo sobre inteligência financeira.
Você é um homem notável
dança, cozinha e é adepto a esportes radicais.
E tem opinião firme!
Será que depois de mil peripécias
minha saga de heroína da Miramax
terá um final feliz digno de cinema?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Drummond e minha versão de balada de amor através das idades

  1. Tati disse:

    Gostei!!! Haha! Coliseu, doença tropical. Muito bom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s